Ushuaia: a natureza no fim do mundo

A cidade mais próxima do continente antártico, Ushuaia é comumente chamada de fim do mundo. Apesar da referência, tem muito a oferecer aos turistas e vem se consolidando como mais uma opção de destino na América do Sul.

Foto de Ushuaia

Ushuaia tem atrações para todas as épocas do ano.

Mas qual será a melhor época do ano para visitar? Quais são as principais atrações turísticas de Ushuaia? Como se preparar para a viagem?

Vamos descobrir!

Cotação Online de Seguro Viagem

Dicas de Ushuaia

Ushuaia fica no extremo sul da Argentina, a cerca de 3 mil km da capital, Buenos Aires, e a apenas mil km da península antártica. 

Só pela localização, entende-se que se trata de um destino com lindas paisagens naturais. Além disso, agrega outros atributos como, por exemplo, a gastronomia e esportes de aventura em virtude do clima frio.

Ushuaia tem a temporada de neve mais longa do hemisfério sul, característica que faz a cabeça dos amantes do esqui e snowboard.

Mas aqui vale uma dica. Se você for viajar pensando em praticar algum esporte radical, como o snowboard por exemplo, é preciso contratar um seguro viagem que cubra essas atividades.

Com mais de 100 anos e cerca de 50 mil habitantes, a região passou a ser colonizada e desenvolvida com a construção de um presídio. Embora ele esteja desativado hoje em dia, é um dos mais procurados passeios.

Aliás, o visitante interessado em conhecer a história do lugar pode agregar à programação iniciada no presídio um passeio no Trem do Fim do Mundo e uma visita ao Museu Marítimo.

Fincada entre o Canal de Beagle e a Cordilheira dos Andes, Ushuaia tem cenário deslumbrante. É uma viagem indicada principalmente para viajantes que gostam de aproveitar a natureza. Isso porque está cercada por vários bosques e bem próxima a lagos de cores incríveis como, por exemplo, o lago Esmeralda.

Compras e culinária

Livre de impostos, Ushuaia é uma boa opção para compras, apresentando preços que atraem o turista brasileiro.

É possível encontrar por lá desde freeshop a lojas de souvenir, cervejas artesanais, de roupas de frio, neve e esportivas.

A culinária também atrai. Peixes e frutos do mar deliciam o turista. Não dá para voltar para casa sem saborear a centolla, o famoso caranguejo gigante, e a merluza-negra, que derrete na boca.

Mas as carnes também têm espaço garantido nos cardápios, com destaque para o cordeiro patagônico.

Encerrando uma bela refeição, o doce de leite, figurinha fácil nas mesas, encanta os mais diferentes paladares.

Quando ir?

Uma das opções é conhecer Ushuaia no verão, com dias mais longos e menos gelados.

Aliás, é nessa época do ano que se vê mais pinguins – de outubro a março, com aumento da colônia no mês de janeiro.

Mas se a preferência do turista é esquiar ou praticar outros esportes de neve, o inverno é a boa pedida. A neve é garantida entre o final de junho e setembro.

Vale dizer que Ushuaia ostenta o título de temporada mais longa das estações de esqui da América do Sul.

Mas não pense que unirá essa atração à chance de encontrar pinguins durante o inverno, entendido?

Fazendo as malas

Não importa a época do ano, é sempre vital levar na mala todas as roupas importantes para enfrentar o frio. Cachecol, gorro, luva, segunda pele, casaco, jaqueta, um bom calçado impermeável e com solado antiderrapante.

Lembre-se também de contar com o filtro solar, protetor para lábios e óculos escuros. Esses são itens essenciais para proteção durante todo o ano.

Qual moeda levar?

Ushuaia não tem casas de câmbio, nem no aeroporto! Por isso, a troca pelos pesos ocorre nas agências bancárias que se encontram no centro da cidade – e funcionam das 10h às 15h.

Caso a viagem seja precedida por alguns dias em Buenos Aires, recomenda-se fazer o câmbio na capital. Assim é possível obter melhor cotação (de real por peso ou de dólar por peso).

Não é aconselhável levar reais para Ushuaia. São poucos os estabelecimentos que aceitam essa moeda. Além disso, é rara a oportunidade de achar lugares onde o real é aceito com uma cotação próxima à oficial.

Já o dólar é bem aceito, principalmente para pagamentos de hotéis e passeios. A cotação é por vezes igual ou um pouco abaixo da oficial.

Cartões de crédito e pré-pagos são bem aceitos na cidade. 

Saindo do Brasil para Ushuaia

Para chegar a Ushuaia, o turista que parte do Brasil fará uma conexão na Argentina. Não há voo direto – são 3h30 de viagem de Buenos Aires até o destino. Não é necessário ter passaporte, contanto que você tenha um documento de identificação (RG) com menos de 10 anos.

Por essa conexão, a imigração é feita em Buenos Aires. É necessário então pegar a bagagem, passar pela alfândega e despachar novamente as malas.

A dica aqui é não comprar passagem com intervalo menor que duas horas entre os voos. Também não tente economizar com uma passagem que envolva troca de aeroporto em Buenos Aires.

Do aeroporto para o hotel

A apenas 6 km do centro, é possível ir do aeroporto até o hotel de táxi ou remis (carro que tem um motorista e apresenta valor fixo, de acordo com a região). Também é possível já contar com um carro alugado – não é grande a diferença de valor entre o táxi e o remis.

Importante: não existe transporte público ou serviço de shuttle regular para o trajeto entre aeroporto e centro da cidade. 

Circulando na cidade

Quando se está em um hotel bem localizado, a caminhada é indicada. O uso de qualquer tipo de transporte só será necessário para os passeios.

Alugar um carro vale a pena se o hotel ficar afastado do centro. Ou então se o turista quer conhecer o Parque Nacional Tierra Del Fuego sem participar de excursão, por conta própria.

Hora de passear por Ushuaia

Não é preciso fazer reservas com antecedência para os passeios locais, a não ser para a caminhada com pinguins na Ilha Martillo.

Para navegar pelo Canal de Beagle, basta se dirigir ao porto turístico, onde se vê um conjunto de casas coloridas.

Durante o verão, é recomendada a caminhada com pinguins na Ilha Martillo, o passeio ao Parque Nacional Tierra Del Fuego e a navegação pelo Canal de Beagle.

  • Caminhada com pinguins. O turista é recebido na ilha pelos simpáticos pinguins e pode passear com eles por cerca de uma hora.
  • Parque Nacional Tierra Del Fuego. Com bosques de tirar o fôlego, é aqui que está o Trem do Fim do Mundo. É possível contratar excursões que dão um bom panorama geral. Além disso, é possível combiná-las com um trecho no Trem do Fim do Mundo (é um passeio caro, mas que percorre uma parte bonita do parque). Há também excursões que incluem passeios de caiaque, por exemplo.
  • Navegação pelo Canal de Beagle. Esse passeio, que tem curta duração, pode ser feito de catamarã, veleiro ou iate que parte do porto turístico. O visitante será levado até os lobos-marinhos e cormorões que podem ser vistos durante todo o ano todo, diferente dos pinguins que são figurinhas fáceis no verão. O farol Les Eclaireurs, que é um símbolo de Ushuaia, também está nesse roteiro. 

Ushuaia no Inverno

Já durante o inverno, alguns passeios acima mencionados continuam (Parque Nacional da Terra do Fogo, a navegação pelo Canal Beagle e o Trem do Fim do Mundo). Porém, o turista ganha a possibilidade de se esbaldar nos esportes de inverno.

O Esqui no Cerro Castor, por exemplo, é o maior dos centros de inverno de Ushuaia. Além de garantir a neve do primeiro ao último dia da temporada, não provoca desconforto de altitude por estar a apenas 1.057 metros do nível do mar.

Outra atração que atrai os turistas é o passeio de trenó, puxado por cães huskies siberianos.

É possível ainda fazer caminhadas com raquetes pelos bosques nevados ou passear com motos de neve (snowmobile). 

Independente da época escolhida para viajar ao Ushuaia, é fundamental contratar um seguro viagem para ter a tranquilidade de estar coberto em caso de algum imprevisto. 




Última atualização em 06/09/2019